Notícias

Últimas notícias Voltar

Facebook desenvolve sistema que alerta antes de fazer posts embaraçosos

Quem tem a mania de perder o controle e postar textos ou fotos embaraçosos no Facebook pode respirar aliviado: a rede social está desenvolvendo uma ferramenta que promete acabar com esse problema. O recurso seria uma espécie de assistente digital capaz de reconhecer sinais de embriaguez no rosto do usuário e alertá-lo antes que ele poste uma foto ou mensagem exibindo avisos como “Este post é público. Tem certeza que quer que seu chefe ou sua mãe o vejam?”. Parece muito promissor.

Facebook Mobile

Nova função do Facebook alerta o usuário antes de fazer posts embaraçosos. (foto Divulgação)

 

O assistente ainda não tem data marcada para o lançamento. Ele está sendo desenvolvido pelo laboratório de inteligência artificial do Facebook e vai usar uma tecnologia chamada “deep learning” (“aprendizado profundo”, em tradução livre), um conjunto de algoritmos capaz de interpretar os dados.

A mesma tecnologia é usada por outras gigantes de tecnologia, como o Google, para refinar seu sistema de busca. No Facebook, a inteligência artificial usa este método para identificar rostos em fotos, o que permite que o usuário identifique a si mesmo e a amigos,o que facilita a marcação de pessoas em imagens.

Outros usos para a ferramenta são a capacidade de identificar o comportamento de um usuário na rede social para definir com mais precisão o conteúdo a ser mostrado no feed de notícias e também ler posts novos que o usuário está escrevendo para sugerir hashtags relevantes em tempo real.

Apesar destes avanços, o chefe do laboratório do Facebook, o pesquisador Yann LeCun, não está satisfeito. Para ele, a tecnologia seria capaz de mediar a interação do usuário com amigos e também com o conteúdo da rede social.

O objetivo final, segundo LeCun, seria criar um assistente capaz de analisar todo o conteúdo postado no Facebook. “Você precisa de uma máquina que entenda não só o conteúdo como também as pessoas e que seja capaz de analisar todos estes dados”, acredita.

Via Wired