Notícias

Últimas notícias Voltar

Como escolher um HD externo? Confira dicas

Para comprar um HD externo ideal, o consumidor deve ficar atento a alguns aspectos importantes, como capacidade de armazenamento demandada, sistema operacional compatível com o computador de uso e portabilidade do dispositivo. O TechTudo reuniu 10 dicas que podem acabar com as suas dúvidas na hora de escolher um disco rígido externo. Aprenda ainda a cuidar e manter o bom funcionamento do aparelho.

1. Pense em espaço interno ao comprar um HD

Saber quantos Gigabytes ou quantos Terabytes o disco rígido externo apresenta é essencial para definir sua compra. Nem sempre os modelos com maior espaço são a melhor opção, porque a sua necessidade pode ser mais modesta. O importante é escolher o HD que combine mais com o uso que você faz do computador.

O HD ideal depende das suas necessidades (Foto: Divulgação/Sony)

O HD ideal depende das suas necessidades (Foto: Divulgação/Sony)

Se você é um usuário mais casual de computadores, um HD de 500 GB pode suprir suas principais necessidades. Provavelmente, você precisa de um dispositivo para armazenar apenas textos, fotografias e alguns vídeos. Além disso, esse arquivos podem ser salvos em serviços de nuvem. Um Sony HD-EG5 conta com 500 GB e sai por cerca de R$ 350. Com esse espaço, você consegue guardar 100 mil fotos de uma câmera de 6 megapixels ou 125 mil músicas em MP3 de 128 Kbps, por exemplo.

Mas, se você for um gamer, sua necessidade será maior. O espaço médio de um jogo de médio porte para PC é entre 2 GB e 3GB, mas o tamanho dobra ou vai além em programas de alto processamento gráfico. Além disso, é necessário memória RAM e uma boa GPU para que o game seja processado sem problema. No quesito HDs, é recomendável no mínimo um modelo com um 1 TB de espaço. O Expansion, da Seagate, oferece 3 TB por cerca de R$ 700, ideal para esse perfil de usuário.

Seagate Expansion pode ser uma opção de HD para gamers (Foto: Divulgação/Seagate)

Seagate Expansion pode ser uma opção de HD para gamers (Foto: Divulgação/Seagate)

Artistas gráficos ou editores de vídeos podem optar tanto por um HD externo quanto por serviços de nuvem, especialmente se não for material confidencial. O My Cloud da WD mistura as funções de disco rígido com armazenamento virtual, com 2 TB de espaço, o suficiente para arquivos de programas audiovisuais. O aparelho custa cerca de R$ 700.

HD da WD tem funções físicas e de nuvem (Foto: Divulgação/WD)

HD da WD tem funções físicas e de nuvem (Foto: Divulgação/WD)

2. Pesquise qual sistema operacional é compatível com o HD

Normalmente, todos os discos rígidos externos são compatíveis com Windows e Mac OS, sistemas que dominam a maioria do mercado de computadores de mesa e notebooks. Os aparelhos são compatíveis com apenas um dos dois, já que Mac utiliza o padrão HFS+, enquanto o Windows roda com NTFS.

No momento da compra, faça a checagem com o fabricante para verificar a real compatibilidade. No Mac, há um programa chamado MTFS-3G que lê HDs compatíveis com o sistema Windows. E o melhor: o software é de graça.

Ao comprar um HD, se o componente não funcionar no seu computador, consulte a Internet para encontrar drives ou programas que habilitem o funcionamento, se for possível. Versões muito antigas de sistemas operacionais tendem a não funcionar com equipamentos novos.

3. Busque aparelhos portáteis

Os HDs mudam muito de tamanho, de acordo com as características do hardware. O modelo Sony HD-EG5 pesa 380 gramas e cabe no bolso, enquanto o Seagate Expasion pesa mais de 1 kg.

Se você for adquirir um modelo maior, escolha um que compense pelo grande espaço de memória ou pela alta velocidade na transmissão de dados. Mas não escolha um HD excessivamente pesado para não comprometer seus dados em um eventual transporte físico. Lembre-se sempre das suas necessidades ao escolher um produto.

4. Preocupe-se com a transferência de dados

Dê preferência aos HDs com entrada USB 3.0, três vezes mais rápida do que sua versão 2.0. Hoje a maioria dos acessórios possuem esse tipo de entrada mais moderna. Mas para não correr riscos, consulte as características técnicas do aparelho antes de finalizar a compra.

5. Um SSD pode ser melhor do que um HD

Um SSD pode ser uma opção mais vantajosa (Foto: Divulgação/Kingston)

Um SSD pode ser uma opção mais vantajosa (Foto: Divulgação/Kingston)

Os SSDs não registram informações em um disco magnético, utilizando parte da memória RAM ou de outros componentes do computador. Sua performance de inicialização é melhor, mas seu espaço é reduzido e seu preço é mais caro.

Para ter uma ideia, o SSDNow V310, da Kingston, possui 960 GB e custa no mínimo R$ 2799, o que é equivalente ao preço de computador. Por menos da metade do valor, você compra um HD de um 1 TB. Esse tipo de dispositivo só é recomendável para quem quer boa performance além de estocar memória.

8. Não aqueça o HD externo e cuide dele

Os mesmos cuidados que você toma com seu PC ou notebook se aplicam ao disco rígido externo. Fique atento para que o ambiente não esteja quente a ponto de comprometer seu funcionamento. Se for possível, deixe-o em um local refrigerado.

Limpe o aparelho sempre que for possível, sem utilizar água ou substâncias que causem problemas no circuito. Evitar acúmulo de pó também ajuda a manter a boa performance.

9. Se a sua necessidade de espaço for grande, procure HDs duplos

Algumas empresas oferecem HDs com 8 TB de capacidade de armazenamento ao unirem dois HDs. Um modelo desses sai por cerca de R$ 1.800. É um bom investimento, melhor do que do que comprar dois discos de 4 TB por mil reais cada.

10. Se você não quiser gastar dinheiro em um equipamento, pode usar a nuvem

Antes de comprar qualquer coisa, avalie se há necessidade de ter um HD físico. O Dropbox  oferece armazenamento de 500 GB por US$ 499 (R$ 1,1 mil) ao ano. Outros serviços concorrentes oferecem pacotes similares, como o Cloud Drive da Amazon.

Os principais inconvenientes de ter um HD é que este é um hardware suscetível a danos físicos, que podem corromper sua memória para sempre. Ele precisa ser guardado em um local onde não acumule calor e nem sujeira, para seu correto funcionamento.

6. Busque aparelhos com criptografia física

Ter uma senha no software do HD é importante, mas um botão de trava no dispositivo é mais seguro para seus documentos. O firmware do aparelho pode ser corrompido por vírus de outros computadores. No caso de estocar dados sigilosos, todo cuidado é pouco. Por isso, preste atenção nos detalhes de segurança ao comprar um componente desses.

7. Preocupe-se com a criptografia digital e com vírus

Não se esqueça de cuidar da segurança do seu hardware. Utilize o HD no PC sempre com o antivírus acionado, para evitar invasões que contaminem os dois equipamentos.

A nuvem não depende de limites físicos, mas está propensa a invasões. Portanto, se você escolheu guardar arquivos na Internet, saiba que não é um ambiente seguro, principalmente após as revelações de espionagem americana em 2013. No caso dos HDs, a segurança é maior, porém ela traz maiores cuidados com o equipamento físico. Avalie seu perfil de usuário, suas necessidades, os prós e contras e faça seu investimento sem medo.

 

Fonte: Techtudo